Notícia

Por, Bairros de Maceió - 10/09/2014

RIACHO DOCE - Maré destrói estátua da Praia da Sereia

Cauda, que passou por reforma há 4 anos, foi levada pela força das águas.
Barracas da orla também foram destruídas.


Do G1 AL, com informações da TV Gazeta

A força da maré nos últimos dias destruiu várias barracas à beira mar da Praia da Sereia, em Maceió. A ressaca foi tão forte que até estátua da sereia, que fica nos arrecifes no mar, foi atingida. A cauda que foi restaurada há quatro anos foi levada mais uma vez pela força da maré.

Uma das barracas está com boa parte do telhado sendo sustentado por uma madeira. Com a água, o piso ficou oco. A escada se mantém em pé graças ao pedaço de concreto. Os donos de barracas tentam improvisar a descida até a praia, caso apareça algum cliente.

“O prejuízo passa de R$ 6 mil. Só ontem colocamos mais de 20 sacos de areia para impedir que a maré chegasse dentro das barracas, mas não adiantou”, afirma o comerciante Emanuel Williams.

Todo esse estrago foi feito pelo mar nos últimos dois dias. A Capitania dos Portos emitiu o alerta de ressaca na segunda-feira (8) que deve durar até quinta-feira (11). A previsão é de ondas de até três metros de altura.

Os comerciantes estão com medo porque nesta quarta-feira ela deve chegar seu ponto mais alto e o estrago pode ser ainda maior. “Moro aqui há mais de 20 anos e nunca vi uma maré tão alta”, afirma o morador Ademir Rocha.



Fonte: gazetaweb.com / Foto: Abel dos Anjos

Conheça a história do mirante da sereia AQUI

 

Continue navegando...

Bairros de Maceíó © 2002-2017

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top