Turismo

Turismo em Maceió

Maceió, cidade de motivos para se apaixonar. Das praias às piscinas naturais repletas de peixes coloridos, a beleza da natureza convive em harmonia com a cidade e seus encantos culturais e históricos. Seja pelo clima ou mar perfeito para relaxar em águas mornas e cristalinas, há um fascínio convidativo em Maceió.

As praias de Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas ficam em área urbana e compõem a orla marítima de Maceió, considerada a mais bonita do Brasil. Nesta área, é possível usufruir de excelentes hotéis, restaurantes, bares, pizzarias, cervejarias, ciclovia e um calçadão com quiosques. Ao final da tarde, ele se transforma em uma passarela perfeita para a prática de atividades físicas ou simplesmente para apreciar o pôr-do-sol.  Também é possível conhecer praias mais afastadas no litoral norte, como Ipioca, Pratagy, Mirante da Sereia, Riacho Doce, Garça Torta, Guaxuma e Jacarecica.

O passeio de barco na Lagoa Mundaú e Manguaba é garantia de um momento inesquecível em Maceió. No bairro Pontal da Barra, é possível realizar o ‘Passeio das Nove ilhas’,com barcos que navegam em um arquipélago localizado na Lagoa Mundaú.  Das nove ilhas, oito delas ficam na capital alagoana e uma em Marechal Deodoro, município vizinho. São elas:

Ilha do Irineu: Tem esse nome em homenagem ao Senhor Irineu, velho pescador da região, conhecido em todo o Brasil por ser um dos poucos trígamos do país;

Ilha das Andorinhas: Tem esse nome porque há vários ninhos de andorinhas na ilha e ocorre todo ano um fluxo migratório na região dessas aves;

Ilha do Fogo: Possui esse nome porque no local havia um alambique de pinga, que faliu anos depois porque os funcionários consumiam o produto;

Ilha de Santa Marta: O nome é uma homenagem a Santa Marta;

Ilha do Almirante: Tem esse nome porque lá viveu um almirante da marinha que faleceu lá mesmo;

Ilha de Um Coqueiro Só: Possui esse nome porque em 1989 uma enchente devastou a ilha e só sobreviveu um coqueiro na região;

Ilha das Cabras: Tem esse nome porque um fazendeiro criava cabras na ilha, mas teve que interromper a criação por causa da poluição da região;

Ilha Bora Bora: Ganhou esse nome porque o povo da região encurtava a palavra “embora” para “bora”, quando queria-se ir para a ilha.

Ilha de Santa Rita: Pertence ao município de Marechal Deodoro. É a maior ilha lacustre do país, pois possui 12 km². Atualmente, a ilha é uma área de preservação ambiental porque possui uma fauna e uma flora riquíssimas.

MIRANTES

Mirante Ambrózio Lira:  Localizado na Rua Ambrósio Lira, bairro do Farol, entre as Ladeiras do Brito e dos Martírios. Por ele, observa-se o mar da Praia da Avenida e todo o resto da costa que vai até o Pontal da Barra e o Centro da cidade de Maceió.

Mirante Chã de Bebedouro: Localizado na Avenida Osvaldo Cruz, estrada de Santa Amélia, no Bairro da Chã de Bebedouro. Boa parta da Lagoa Mundaú pode ser vista de lá.

Mirante do Cortiço: Por trás do Colégio Santíssimo Sacramento, no bairro do Farol, proporciona a vista do Centro da cidade e parte da Praia da Avenida.

Mirante Kátia Assunção: Localizado no bairro do Jacintinho, avista-se quase todo o litoral da cidade, desde a Praia de Cruz das Almas até a Praia da Avenida, onde está localizado o porto da cidade.

Mirante da Sereia: Localizado no litoral norte, na AL 101 norte, está na Praia de Pratagy – Mirante da Sereia. Avista-se o mar de Pratagy, com sua piscina natural, rodeada de arrecifes, onde está localizada a estátua da sereia.

Mirante de São Gonçalo: Próximo a Igreja de São Gonçalo, no bairro do Farol. Avista-se o Centro da cidade, o mar da Pajuçara e Ponta Verde, o Porto de Maceió e toda extensão da costa sul.

Mirante de Santa Terezinha: Em frente a Igreja de Santa Terezinha, no bairro do Farol. É possível ver, parcialmente, a Lagoa Mundaú, o Palácio dos Martírios e o Estádio Rei Pelé (conhecido como Trapichão).

PARA ONDE IR EM MACEIÓ:

Alugar uma bicicleta para conhecer Maceió pela ciclovia da Praia do Pontal da Barra até a Praia da Jatiúca.

Navegar até as piscinas naturais da Pajuçara, o cartão-postal mais antigo de Maceió e que guardam o patrimônio natural de corais. Pessoas com mobilidade física reduzida, a exemplo dos cadeirantes e idosos, contam com três jangadas acessíveis.

As piscinas naturais da Pajuçara também são perfeitos spas a céu aberto. Longe da cidade e no meio do mar as massagens e exercícios antiestresse fazem bem ao corpo e à mente.

Pontal da Barra, bairro localizado no Litoral Sul de Maceió, é o destino para desvendar os segredos do mais típico artesanato alagoano: o filé, uma renda milenar, tradição passada de mãe para filha. Agora, além das mulheres, os homens também dominam o ofício. Além da arte das renderias, o Pontal da Barra tem o mais belo pôr do sol na Lagoa Mundaú e vários restaurantes de gastronomia regional.

Para comprar artesanato ainda tem Feirinha da Pajuçara, Pavilhão da Pajuçara e Guerreiros de Alagoas.

Visitar o Mercado do Artesanato no Centro de Maceió também é parada obrigatória. Tem cerâmica, bordados, sandálias de couro, bolsas de palha e, principalmente, as esculturas de palitos de fósforo do artista Arlindo Monteiro.

Ainda no Centro de Maceió, uma visita à galeria de arte Karandash, que expõe arte contemporânea e obras dos artistas da cultura popular de Alagoas.

No domingo levar a família para um dia de lazer na Praia da Pajuçara. A avenida beira-mar fica fechada para caminhar, pedalar e promover muitas brincadeiras para a criançada.

Também aos domingos, na parte alta da cidade, levar a família para o Lazer na Praça do Centenário. A Praça possui espaço para a prática de esportes, cultura e outras atividades de lazer como piquenique. A rua sentido Centro é interditada para a realização de esportes.

Pegar onda nas praias de Cruz Almas, Jatiúca, Jacarecica eRiacho Doce.

Praias serenas: Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca, Guaxuma, Garça Torta, Mirante da Sereia, Pratagy e Ipioca.

No caminho do Litoral Norte saborear os bolos e doces da Praia de Riacho Doce. Tapioca, beiju, grude, brasileira, cocadas, bolo de macaxeira e massa puba, todos fabricados em antigos fornos de barro e lenha.

Fonte: Site da Prefeitura Municipal de Maceió / Fotos: Semptur

Bairros de Maceíó © 2002-2017

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top