Caderno 2

Por, Bairros de Maceió - 27/09/2017

Lançada programação oficial da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas

Radio Bienal é uma das novidades do evento que transcorre de 29 deste mês a 8 de outubro

Diana Monteiro – jornalista

Bastante prestigiado, um café da manhã nesta quarta-feira (6), marcou o lançamento oficial da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Com o slogan Livros que envolvem, leituras que libertam , o tema é focado no Bicentenário do Estado, com uma programação diversificada contemplando debates, mesas-redondas, palestras, oficinas, seminários e atrações culturais. A solenidade, no auditório do Hotel Ponta Verde, contou com a participação de representantes da gestão da Universidade Federal de Alagoas e dos três segmentos da instituição, além de parceiros e apoiadores da edição deste ano.

O maior evento literário de Alagoas transcorrerá no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, de 29 deste mês até 8 de outubro, e tem a coordenação da Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal).  A instituição alagoana, em parceria com o Governo do Estado e  a Prefeitura de Maceió, mantém o seu compromisso social e cultural sendo a única universidade no país a promover e realizar uma bienal. O evento vai além de ser apenas uma feira de livros, agregando debates de temas variados de interesse da sociedade.

Durante a abertura, a reitora Valéria Correia reforçou a importância dos parceiros e apoiadores. “A Bienal é um evento grandioso, concorrido, e se não fossem as parcerias não haveria a possibilidade de realização”, disse, enfatizando que o acesso ao livro é um direito do cidadão.  

Ela aproveitou para enaltecer a iniciativa da Prefeitura de Maceió, em conceder aos 6,8 mil alunos da rede municipal de ensino um vale-livro no valor de R$ 15. Como representantes do poder público municipal estiveram presentes: o vice-prefeito Marcelo Palmeira, representando o prefeito Rui Palmeira; a secretária de Educação, Ana Dayse Dórea, reitora honorária da Ufal e o secretário de Comunicação, Clayton Santos.

Marcelo Palmeira reafirmou a parceria destacando a importância do evento para Alagoas. A magnitude da Bienal, o que ela representa para a arte, cultura e história de Alagoas, foram destacados pelo secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Regis Cavalcante, na oportunidade representando o governador Renan Filho.

Valéria também enalteceu o trabalho desempenhado pela comissão organizadora da oitava edição sob a liderança do diretor da Edufal Osvaldo Maciel, pelo desafio de manter a tradição de realização do evento. E lembrou, na oportunidade, que a próxima Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) em 2018, será sediada na Universidade Federal de Alagoas. O vice-reitor José Vieira e a professora Eliane Almeida, da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep), estão na coordenação do evento. Durante a 8ª Bienal estará instalado um estande com todas as informações sobre a SBPC.

Ousadia e parceria

 “Se o Estado fosse mínimo, não realizaria um evento do porte da Bienal para fomentar um debate. A Bienal é maior do que a Ufal e a ousadia para realização necessita da presença do Estado”, afirmou o diretor da Edufal Osvaldo Maciel, agradecendo a presença das participantes, parceiros e apoiadores do evento. Destacou atividades com foco nos 200 Anos de Emancipação Política de Alagoas com participação de estudiosos locais, a exemplo de Sávio de Almeida e Dirceu Lindoso. E informou:

“Integram a programação sete seminários, vinte e duas mesas-redondas, dezesseis palestras, trinta oficinas, onze bate-papos, além de eventos específicos voltados ao tema. Como atração, uma delas na literatura mundial que dialogam com os jovens nas redes sociais é o youturber Gustavo Lacombe. A bienal é um momento importante para capturar a juventude para o mundo da literatura”, frisou Osvaldo.

Presentes também ao lançamento as ex-diretoras da Edufal, Sheila Maluf e Stela Lameiras; o superintendente do Sebrae, Marcos Vieira; o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa em Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes; o presidente da Fundepes,  Gabriel Baldue; dentre outras autoridades e representantes de órgãos patrocinadores e apoiadores.

Comunicação e ambientação

A Rádio Bienal se sobressai como grande novidade de interação com a sociedade e também como mais um produto de comunicação para a cobertura jornalística do evento sob a coordenação de Mercia Pimentel e Lídia Ramires. Atrelada à Assessoria de Comunicação (Ascom), o trabalho de atuação terá como responsável Carlos Madeiro e se agrega à equipe de 50 pessoas, entre profissionais e estudantes das diversas áreas de comunicação. Das 10h às 17h a Rádio transmitirá programação gravada e das 17h às 20h fará transmissão ao vivo de atividades variadas.

O projeto de ambientação para a Bienal, também apresentado durante a solenidade, foi elaborado pelo Grupo de Extensão Luminaturas, que integra o Programa Proinart/Ufal, representado pelos arquitetos Eduardo Quintella e Ivvy Quintella. O projeto está conectado com o tema e slogan do evento, utiliza as vivas cores da bandeira de Alagoas e também foi inspirado no rico acervo cultural do Estado.

Patrocinadores

Além da parceria com Governo de Alagoas, Prefeitura de Maceió e Fundepes, a 8ª Bienal Internacional do Livro tem os seguintes patrocinadores: Sebrae-AL, Braskem, Sesi, Senai e Fapeal. Conta com o apoio da Usina Coruripe, Cesmac, Instituto Zumbi dos Palmares, Doity Plataforma de Eventos, Hotel Ponta Verde e de outras entidades, órgãos e instituições que colaboram com o grandioso evento.

Confira no site da Bienal a programação

Fonte: http://www.ufal.edu.br/noticias/

Continue navegando...

Bairros de Maceíó © 2002-2017

Curiosidade

Treze vezes vencedor do prêmio Notáveis da Cultura Alagoana - Prêmio ESPIA.

"Uma cidade que não tem memória é uma cidade sem alma. E a alma das cidades é sua própria razão de ser. É sua poesia, é seu encanto, é seu acervo. Quem nasce, quem mora, quem adota uma cidade para viver, precisa de história, das referências, dos recantos da cidade, para manter sua própria identidade, para afirmar sua individualidade, para fixar sua municipalidade." Extraído do livro Maceió 180 anos de história 5 de dezembro de 1995.

Top